O pensar da filha de um detento

L. M. *
 
Celas vejo a todo momento...
O tempo passa e não se sente o tempo.
A melodia do pôr do sol já não é escutada.
O belo show da vida ao entardecer
serve para embalar o sono.
Deitados, dividindo histórias.
Sonhando cada segundo com a liberdade.
Sonhando sempre com o vento beijando o rosto,
podendo abrir os braços e deixá-los livres,
sem se deparar com grades.
Sonhar é bom, mas o melhor é concretizar um sonho.
Espero que as pessoas não pensem
que a dor cessa quando deixamos você aí,
sem saber como será o passar da noite.
Os muros não impedem as pessoas de buscar
aquilo em que acreditam.
--------------------------------------------
 
* Filha de um detento depois da visita ao pai na cadeia
   No Jornal Recomeço, publicado com textos dos detentos